Os cuidados de saúde estão na génese das Misericórdias que, ao longo dos séculos, têm sabido adaptar esses cuidados às necessidades de cada tempo. Hospitais e cuidados continuados são as faces mais visíveis deste trabalho, cujo objetivo é responder, com qualidade, às comunidades onde se inserem.

Na área dos cuidados continuados, as Misericórdias são responsáveis por mais de metade do total de camas da Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados. As Santas Casas são, ainda, detentoras de hospitais que, ao abrigo do Decreto-Lei nº 138/2013, estão integrados no SNS.

A rede de saúde das Misericórdias conta também com meios complementares de diagnóstico e terapêutica, cuidados primários, farmácias e unidades de saúde mental.

Além da prestação de serviços de saúde, a UMP e as Misericórdias têm promovido a reflexão, internamente e junto de parceiros, sobre as novas necessidades de saúde dos portugueses, com particular enfoque nas demências e envelhecimento.

O projeto Valorização e Inovação em Demência (VIDAS) e o lançamento de um manual direcionado para as famílias e cuidadores formais de pessoas com esta patologia decorrem desta reflexão e partilhas de boas práticas com as Misericórdias.

Na área do envelhecimento, a UMP tem em curso outro projeto com vista à adaptação de estruturas de apoio às novas realidades dos idosos, mediante o acesso a linhas de financiamento. Para mais informações sobre o Projeto para a Qualificação das Comunidades Amigas das Pessoas Idosas (PQCAPI) contactar através do email: pqcapi@ump.pt.

De modo a facilitar o acesso dos cidadãos a cuidados de saúde, a UMP criou um cartão de saúde, de abrangência nacional, com duas modalidades: cartão social e cartão social mais.

Para monitorizar toda a rede de prestadores, a UMP está dotada de uma linha serviço denominada Grupo Misericórdias Saúde.

Notícias

Galeria