Criada em 1976, a UMP tem pautado a sua atuação pelo diálogo, antecipando problemas e propondo soluções

A União das Misericórdias Portuguesas (UMP) foi criada em 1976 para orientar, coordenar, dinamizar e representar as Santas Casas de Misericórdia, defendendo os seus interesses e organizando serviços de interesse comum.

Enquanto entidade de economia social, tem pautado a sua atuação pelo diálogo não só com as Misericórdias, mas também com parceiros institucionais variados e, ao longo da sua existência, tem sabido antecipar problemas sociais variados, propondo, nesse sentido, soluções adequadas e eficazes.

A estrutura da UMP é composta por Secretariado Nacional, Assembleia Geral, Conselho Nacional, Conselho Fiscal e Secretariados Regionais. Estes últimos visam privilegiar o diálogo próximo e permanente com as Santas Casas.

No dia 25 de outubro de 2014, as Misericórdias, reunidas em assembleia-geral extraordinária em Fátima, aprovaram novos estatutos para a UMP. A proposta de alteração decorreu da necessidade de modernizar os estatutos originais, de 1976, viabilizando desta forma um melhor apoio da UMP às suas associadas.

A UMP representa ainda os interesses das Misericórdias em variados fóruns como Conselho Económico e Social, Conselho Nacional para Economia Social, Comissão Permanente do Sector Solidário, Cooperativa António Sérgio para Economia Social, entre outros.

Numa lógica de parceria e internacionalização, a UMP integra estruturas como a União Europeia das Misericórdias (há Santas Casas em França, Itália, Luxemburgo, Espanha, Ucrânia etc) e Confederação Internacional das Misericórdias (entre outros países, destaque para o Brasil onde são mais de 2000 as Santas Casas).

Para apoiar as Misericórdias, a UMP conta com diversas Linhas de Serviço que acompanham dirigentes e técnicos de Santas Casas em áreas decisivas para a atividade das instituições. Além disso, a UMP gere equipamentos em áreas como a deficiência profunda, terceira idade e saúde.